A estrutura do capital que forma o estabelecimento empresarial

Apresentamos uma breve composição moderna da estrutura do capital em seus principais aspectos atuais, à luz da teoria pura da contabilidade

Prof. MSc. Wilson Alberto Zappa Hoog

Resumo:

Apresentamos uma breve composição moderna da estrutura do capital em seus principais aspectos atuais, à luz da teoria pura da contabilidade.

A filosofia contabilística busca por meio de um raciocínio lógico demonstrar, explicar e interpretar a composição moderna da estrutura do capital.
O capital é a riqueza que nasce e cresce do processo da comercialização de bens e serviços e constitui a base do sistema econômico do capitalismo[1] e tem o sentido de riqueza, existência de mercadorias e bens corpóreos ou incorpóreos, somas de dinheiro ou bens conversíveis em dinheiro. Logo, capital significa "ter a posse de coisas”. Resumindo, capital são todas as coisas suscetíveis de avaliação econômica, exceto o ser humano, o homem não é capital. O resultado da inteligência, inventos, sistemas etc., são capitais na modalidade: capital intelectual.
O capital representa tudo o que se produz e gera valor em uma célula social, seja ele físico, financeiro ou intelectual, e se divide em tangíveis e intangíveis.
O capital tangível pode ser observado fisicamente e o intangível não pode ser observado fisicamente, mas este se manifesta pelos fatores de competição e plusvalia[2], e não raro, possui valor superior ao total do capital tangível.
O instituto do capital é um gênero que se divide em tipos tais como: capital físico, capital intelectual, capital de financiamento e funcionamento, capital monetário, capital natural, capital financeiro, e o capital da tecnologia de informação e comunicação, conforme segue:

a)   Capital físico - o capital como itens físicos, ferramentas, máquinas, computadores, construções e veículos que são usados no processo de produção ou de prestação de serviços.

b)   Capital intelectual - é o capital do conhecimento, o qual leva a certas vantagens competitivas por ser o capital de estratégias. É composto de elementos relacionados a aspectos sociais, criativos e científicos, normalmente, são formados por itens intangíveis como os acervos técnicos; e a propriedade intelectual protegida, que pode ser denominada como lastro ou vetor do fundo de comércio. E o procedimento de valorização decorre da eficiência e utilidade deste bem, e a segurança na atribuição de valor, tem lastro na moderna teoria das probabilidades. O valor e a eficiência do fundo de comércio podem ser aferidos pela dosimetria[3] do fundo de comércio, que é uma escala métrica.

c)   Capital de financiamento e funcionamento - são os de terceiros, oriundos de compras a prazo, da emissão dedebênturestítulos de dívida privada ou financiamentos bancários, com vencimento a curto ou a longo prazo

d)   Capital financeiro - representa o dinheiro, é de propriedade da célula social. Caixa ou equivalente de caixa utilizado para a manutenção do capital de giro. Uma parte do capital monetário.

e)   Capital monetário - representa o capital social escriturado no patrimônio líquido, sendo este formado pelo valor monetário da parte ideal do capital, o qual cabe aos sócios ou acionistas. Logo, o valor aportado pelos sócios ou acionistas.

f)    Capital natural - é inerente aos sistemas biológico-ecológicos, sendo que este é de propriedade da comunidade e protegido para dar suporte à vida, como por exemplo, florestas, sol, vento, rios, nascentes de água, flora e fauna. Possuindo a célula social o direto de explorá-lo pela via da sustentabilidade[4].

g)   Capital da tecnologia de informação e comunicação - é o capital que se origina em sistemas e redes de informaçãoprópria e faz a partilha dos conhecimentos e inteligência da célula social, pela sua rede de computadores e equipe de TI.

A combinação do capital intelectual com o capital da tecnologia de informação e comunicação formam uma variação denominada genericamente de “capital organizacional”. Pois, este conjunto consiste em um sistema de labor integrado que é a arquitetura da célula social, utilizada como ferramenta para se executar as estratégias empresariais. Eles são partes indissociáveis quando participam do processo empresarial, de forma inteligente, uma vez que as pessoas que participam deste conjunto aprendem, com os erros e acertos, e registram na memória da organização o que aprenderam para aperfeiçoar as estratégias empresariais.

Nenhum comentário:

Investor