A filosofia da contabilidade

A filosofia está diretamente ligada à sabedoria e a reflexão, mas a contabilidade precisa de ter uma filosofia própria para conduzir a vida de pessoas que pertencem a um determinado grupo social de profissionais liberais.

É justamente a vida profissional do contador e sua maneira de se conduzir no trabalho desempenhado que criou ao longo dos anos uma maneira toda peculiar de vida profissional, que caracterizou a profissão contábil. Somos um grupo social envolto pela sociedade que criou um modo de ver o contador, mas nos dias atuais vem mudando essa maneira de vê a postura do contador. No passado conhecido por guarda-livros era apenas um profissional sem que a sociedade tivesse uma mensagem mais expressiva deste profissional; já nos dias atuais a postura do contador é mais expressiva dentro da sociedade. Este conjunto de regras e de conduta vai amoldando a vida do homem como profissional, e ao mesmo tempo gerando uma nova visão para sociedade. Temos o Conselho Federal de Contabilidade que criou um código de conduta com as normas profissionais, que veio a dá maior ênfase ao profissional, mas, sobretudo o código de ética profissional cujo objetivo é modelar o profissional a uma vida integra e harmoniosa com o caráter do contador. Todavia a classe contábil tem uma metodologia a seguir de trabalho, e, no entanto criou uma marca na sociedade que durante anos vem crescendo paulatinamente, e dá ênfase a uma categoria em especial, e a sociedade aceita, pois precisa do profissional para auxiliar nas atividades das empresas. O profissional à medida que executa seus serviços, e vai adquirindo o perfil do grupo social já está inserido no contexto social dos contadores. Com o tempo o profissional será reconhecido pela sociedade como o responsável pela contabilidade de determinada empresa, e, portanto quanto mais a sociedade requer da classe uma postura diferenciada mais o profissional será visto como alguém especial, que tem algo a oferecer para sociedade. 2. Desenvolvimento A filosofia que o profissional da contabilidade vive é parte do contexto social que o mesmo irá viver ao longo dos anos de desempenho profissional; é a militância do trabalho que ira dá uma forma diferente ao cidadão atuante na área contábil. Cabe ao profissional tomar para si a responsabilidade de arcar com o compromisso assumido perante o seu cliente e a sociedade. Assim sendo com uma postura sociável adquirida exercendo a profissão e vivenciando as experiências em contabilidade que vai se formar o patrimônio intelectual e juntamente com uma postura social nova, então o contador estará com uma filosofia de vida que irá marcando sua vida e sua conduta de trabalhar. Com o decorrer do tempo com sua postura profissional o contador já está vivendo uma filosofia de vida que passa ser percebida pela sociedade, e informa como é sua conduta profissional através de seu trabalho, a sua maneira de tratar com as pessoas e com a própria sociedade. Mas todo profissional com o decorrer do tempo constrói uma vida dentro da sociedade, e cria para si próprio uma maneira de viver de acordo com a atividade profissional; porém todo profissional tem a liberdade de ação e de viver, embora o verdadeiro profissional da contabilidade tenha certo caráter que concatena com o estilo de vida que é conduzido, e pautado em princípios sociais. Podemos vê que há encontros na área em que se reúnem vários profissionais de contabilidade e são tratados assuntos relevantes da área contábil, e que os profissionais estão imbuídos de interesse puramente profissional; mas também verificamos o caráter dos profissionais que tem em si quase uma mesma maneira de pensar e agir, e isso forma a filosofia dos profissionais da contabilidade. O profissional da contabilidade deve refletir sobre a sua vida profissional e a vida pessoal, pois ambas são fusionadas gerando uma pessoa que tem o caráter próprio de quem tem uma postura social, e que altera o contexto social com sua formação de opinião que é próprio do caráter profissional. Vivemos numa sociedade em que há vários aspectos a serem visto pelos profissionais de diversas áreas do conhecimento, mas que cada um tem uma opinião formada de acordo com sua formação acadêmica, e nós contadores temos o nosso ponto de vista bem firmado em uma legislação própria e conceitos bem definidos que é especifico da área contábil, que não se vincula apenas a uma técnica aplicada mas uma ciência que como as outras tem seu objeto de estudo e seus reflexos sociais. Podemos salientar com bastante clareza que a sociedade vê no contador, alguém em que pode confiar para formar uma determinada opinião sobre um assunto de interesse social. Porque o que a contabilidade estuda, que é o patrimônio e suas alterações ou variações, há um interesse por parte da sociedade: empregados, empregador, governo e demais investidores. Portanto isso cria valor para o profissional da contabilidade, e o mesmo precisa ter uma postura social bem definida e marcante para a sociedade vê como uma coluna de esteio social. 3. Considerações finais A contabilidade e seus profissionais têm uma marca muito bem definida dentro da sociedade, e geram para profissão um modo de vida social e dentro da atividade profissional dando um verdadeiro impulso as atividades dentro do contexto social. Há, porém uma formação que é óbvia para sociedade do que vem a ser o contador, o que faz e em poder opinar para auxiliar o processo social. O profissional precisa se harmonizar com a vida profissional e viver de uma forma que crie valor social. É necessário, porém que o contador esteja simultaneamente vivendo com a profissão e tendo uma mentalidade que crie valor social. Não pode haver desarmonia entre ser contador e viver uma vida de contador, isto também é ter um pensamento contábil fluindo na vida do profissional da contabilidade. Sabemos que a profissional tem uma legislação própria e conceitos definidos, e que tem uma ética profissional estabelecida, entretanto não poderá o contador viver distante deste paradigma, mas em uma comunhão plena com estas regras, e tudo isso caracteriza o pensamento do profissional. O que é a contabilidade em si, e qual o papel do contador dentro do contexto social já são definidos desta forma. É, todavia uma arte filosófica ter e viver o pensamento contábil, fazer das regras não uma obrigação, mas uma vida agradável que possa ser prazerosa e ao mesmo tempo eficaz para os seus usuários. Cria valor na sociedade quem assim vive, pois é determinado naquilo que quer e deseja alcançar; é uma marca pessoal que se vai criando no dia a dia, e que somada ao pensamento contábil gera um profissional de caráter íntegro para a sociedade, que tem uma maneira de viver em harmonia com sua profissão. Há regras a serem cumpridas, mas precisa de profissionais que saibam lidar com as regras; temos uma técnica a ser exercida, mas há também um profissional para saber lidar e expressar a verdade. Sabe-se que não há como viver sem cumprir as regras e padrões adotados, mas o contador tem que viver para cumprir as regras e padrões, todavia é necessário ter um caráter em verdadeira harmonia social e profissional. O pensamento da contabilidade é cheio de regras e padrões, e o contador necessita está inserido nesta forma de vida. Se você fizer uma reflexão de sua vida social e profissional verá alguns aspectos que se diferenciam entre si, mas que você como profissional estará sempre com uma opinião formada a respeito de algo, então há uma ingerência do contador para a sociedade e vice-versa. É nesse ponto que suscita a filosofia da contabilidade para vida do contador. É o conhecimento que gera e agrega valor ao contador, e cria ingerência social. Logo, a contabilidade é uma ciência que marca a sociedade através de pessoas que tem um pensamento repleto de regras e padrões, normas e conceitos emanados de órgão especifico e públicos, com suas leis; e assim há pessoas que com seus pensamentos e maneira de agir influem fortemente a sociedade. É necessário também que estas pessoas estejam imbuídas de volição para assim viver dentro da sociedade, e contribuir com sua profissão para as necessidades sociais. Podemos assim dizer que é um conjunto muito complexo que gera o pensamento da contabilidade, pois envolve pessoas e regras e a vida social em que estão inseridas. Necessário se faz assim, portanto de uma compreensão bastante relevante dentro da ciência contábil, e que os profissionais esteja buscando ser e estar de tal maneira. É a filosofia da contabilidade que alavanca a vida do profissional, se o mesmo souber estar coeso a esta maneira de viver. É uma honra sentir-se dessa forma e viver repleto deste pensamento, quando assim se vive agrega-se valor a si mesmo como profissional.

Fonte: FRANCISCO DE ASSIS DOS SANTOS


Nenhum comentário:

Investor