Aplicação das novas normas de Auditoria

O Instituto dos Auditores Independentes do Brasil e o Conselho Federal de Contabilidade traduziram e revisaram orientações sobre as normas internacionais do Ifac, para ajudar na aplicação das normas de auditoria.

O documento que congrega este conjunto de respostas tem objetivo de mostrar como a estrutura das Normas Brasileiras de Auditoria (NBC TAs) emitidas pelo Conselho Federal de Contabilidade permite que elas sejam aplicadas de maneira proporcional ao porte e à complexidade da entidade.
Especificamente, embora as normas brasileiras de auditoria se apliquem a auditorias de entidades de todos os portes e complexidades, este documento de perguntas e respostas aborda assuntos que provavelmente têm especial relevância para sua aplicação no contexto da auditoria de entidades de pequeno e médio porte (PME).

Firmas de auditoria de pequeno e médio porte (PMF), outros auditores de PME, e outros com responsabilidade por auditorias de demonstrações contábeis, podem considerar este documento útil para implementar de maneira efetiva as novas normas brasileiras de auditoria, que estão em linha com as normas internacionais.

Esta publicação não altera nem suprime as normas brasileiras de auditoria, cujos textos isoladamente são oficiais. Sua leitura não substitui a leitura das NBC TAs em sua íntegra e não pretende ser completa.

Contextualização

As Normas Brasileiras de Auditoria, convergidas às Normas Internacionais de Auditoria emitidas pela Federação Internacional de Contadores, tornam-se vigentes para auditorias iniciadas em ou após 1º. de janeiro de 2010.
Essas novas normas especificam de maneira mais clara os objetivos do auditor e os requisitos que devem ser por ele cumpridos na condução de auditoria segundo essas normas.

É do interesse público que os usuários das demonstrações contábeis confiem que as auditorias de entidades, de pequeno ou grande porte, simples ou complexas, foram executadas com os mesmos altos padrões de qualidade. As normas emitidas pelo IAASB, e consequentemente as normas convergidas emitidas pelo CFC, prestam particular atenção às necessidades daqueles que auditam demonstrações contábeis de PMEs ? um setor importante da economia brasileira e que é particularmente sensível ao excesso de normas. Consequentemente, o IAASB e o próprio CFC estão cientes da importância de estabelecer requisitos que sejam aplicáveis de forma generalizada a praticamente todos os trabalhos. O entendimento da estrutura e da intenção das novas normas brasileiras de auditoria ajudará os auditores de PMEs na aplicação delas de forma relevante e eficaz em termos de custo.
Fonte: http://www.ibracon.com.br/noticias/destaque.asp?identificador=3862

Investor